Buscar
  • Vinicius Vital

Doses da vacinação infantil contra a covid devem durar somente até o fim da semana - ONDA CERTA FM

Prefeitura do Rio tem atualmente 33 mil doses, que devem acabar na próxima quarta-feira (19), quando chega outra remessa com a mesma quantidade

Graça Barbosa levou a filha Milena para tomar a vacina infantil e aproveitou para tomar a dose de reforço MARCOS PORTO/AGÊNCIA O DIA

Por O DIA - Yuri Eiras


Rio - A cidade do Rio tem, atualmente, 33 mil doses da vacina pediátrica da Pfizer, reservada às crianças de 11 a 5 anos, que começaram a ser imunizadas nesta segunda-feira (17). A quantidade é suficiente somente até quarta-feira (19), quando está programada para chegar uma outra remessa com a mesma quantidade. A prefeitura tem, portanto, doses suficientes para até o fim da semana, e depende da chegada de mais lotes para a continuidade do calendário.

A expectativa para o primeiro dia é vacinar 13 mil crianças - nesta segunda, as meninas de 11 anos, e na terça os meninos de 11 anos. Crianças com comorbidades e deficiências podem se vacinar a qualquer dia, independentemente da idade. Mas para isso é preciso que as doses cheguem a tempo.

"A gente depende da chegada de mais doses do Ministério da Saúde. Nossa capacidade é aplicar 130 mil doses por dia, e nesse momento temos apenas 33 mil doses. Por isso, o calendário é espaçado. Nesse momento, a vacina dura até quarta-feira (19)", afirmou o secretário municipal de Saúde Daniel Soranz.


Ontem, o Ministério da Saúde começou a separar para os estados uma outra remessa a ser distribuída ao longo da semana. "Com essa chegada dá para finalizar a semana. Mas claro que depende da demanda. A expectativa é que a adesão seja alta. Os pais estão cobrando muito, porque a vacinação infantil era muito esperada pelas famílias", completou o secretário.

Um livro e uma vacina: Prefeitura faz campanha em prol da leitura nas escolas municipais

Com uma mão, Milena Barbosa, de 11 anos, segurava o algodão que protegia o local de aplicação da vacina. Com a outra, segurava o livro 'Sonhos de umas férias de verão'. O exemplar foi um brinde pela saúde. Nas escolas municipais que viraram pontos de vacinação contra a covid - são 11, ao todo -, a prefeitura tem distribuído livros para estimular a imunização.

Aluna do sexto ano da rede municipal, Milena foi com a mãe, Graça Barbosa, até a Escola Municipal Prudente de Moraes, na Tijuca, para receber a vacina pediátrica. A mãe aproveitou e tomou também a dose de reforço. "Estava até mais nervosa que ela para tomar a vacina, mas a gente se apoiou", brincou Graça.

Continua após a publicidade


Imunizada, Milena agora está pronta para começar o ano letivo presencialmente, no próximo dia 7 de fevereiro, mas admite: "Um pouquinho mais de férias seria bom".

A vacinação acontece nos 230 centros municipais de saúde e clínicas da família, além de algumas escolas municipais. São elas: CIEP Henfil (Caju); EM Dr. Cícero Pena (Copacabana); EM Prudente de Morais (Tijuca); EM Anibal Freire (Olaria); Ciep Patrice Lumumbe (Del Castilho); EM Paraíba (Parque Anchieta); CIEP Margaret Mee (Recreio dos Bandeirantes); EM Embaixador Dias Carneiro (Tanque); EM Paulo Maranhão (Realengo, com início terça, dia 18); CIEP Raymundo Ottoni de Castro Maya (Campo Grande); CIEP Papa João XIII (Santa Cruz).

Nesta segunda-feira (17), a vacinação começou com as meninas de 11 anos. Na terça (18), é a vez dos meninos de 11 anos, e na quarta (19) repescagem para meninas e meninos. O calendário segue assim - meninas primeiro, meninos depois - até meados de fevereiro, quando a prefeitura pretende imunizar crianças de 5 anos.

3 visualizações0 comentário